Os caminhos para Portugal

A paixão de Jorge Böhm por Portugal já é antiga. A bordo do veleiro “Prosper d’Étel”, um barco de pesca de atum transformado, visitou o país, como estudante, pela primeira vez. Com a abertura do Mercado Comum na Europa dos 6, iniciou nos anos 60 a importação de vinho de Portugal, voltando a este país com alguma regularidade. Em 1976, após a grave crise política, fundou, como primeiro investimento estrangeiro pós-revolucionário, uma empresa para exportação de vinho; no final dessa década foi apresentado ao governo da altura um plano de selecção, caracterização e melhoramento das castas autóctones.