A fundação da Adega

Em conjunto com o jovem engenheiro Paulo Laureano, Dorina Lindemann produziu o seu primeiro vinho na Adega Experimental da Mitra (Universidade de Évora). A primeira marca foi a Plansel (Plantas Seleccionadas). Durante os cinco anos seguintes, Dorina e o marido, Thomas, constroem a sua própria adega, a Quinta da Plansel. Na altura, a equipa da adega era exclusivamente feminina. Não era fácil encontrar homens num Alentejo conservador que aceitassem uma senhora como sua patroa.

O objectivo de Dorina foi, assim, transferir todo o conhecimento base de seu pai para a enologia. O renascimento de castas antigas foi o início do sucesso do vinho da Quinta da Plansel. Prova disso foi a produção de 20.000 litros de vinho por Dorina Lindemann em 1997, produção que foi aumentando de ano para ano. Hoje, a adega alcança uma produção de 400.000 litros anuais. Um dos segredos desse sucesso é a boa colaboração entre Dorina Lindemann e o Eng.º Carlos Ramos, ambos nutrindo uma profunda paixão pelas castas da Quinta, sobretudo pelas Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Barroca, suas favoritas.

Após o falecimento do marido de Dorina, a Quinta da Plansel contou, a partir de 2010, com a participação financeira de Karl Heinz Stock, um economista com larga visão empresarial, empresário e fundador de uma quinta de excelência no Algarve.

quinta_da_plansel_historia_a_fundacao_da_adega